Ação Social no Batan promovida pela UCB

Ação Social no Batan

Universidade Castelo Branco oferece serviços gratuitos na comunidade do Batan

divulgação

 Em busca do bem estar social e qualidade de vida, a Universidade Castelo Branco (UCB), promove neste sábado (16), um evento social com diversos serviços de utilidade pública. A partir das 9h, haverá uma estrutura montada com profissionais à disposição para oferecer benefícios aos moradores do Batan, em Realengo.

 

divulgação

O projeto leva à  população, gratuitamente, serviços como, orientação sociojurídica, exames para revelar o tipo sanguíneo, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, avaliação do pé diabético e massagens relaxantes. A UCB aplicará também um questionário socioeconômico, para acompanhar o desenvolvimento dos residentes da Comunidade.

 

Serviço

Ação Social na Comunidade do Batan

Data: 19 de agosto (sábado)

Horário: de 9h às 13h.

Valor: Gratuito

Local: Praça do Chuveirinho – Realengo

Realengo 200 anos: MOBILIDADE ZERO

MOBILIDADE ZERO

689 cascadura

739 na estrada da cancela 923 ok

Desde de março os moradores da Zona Oeste ficam literalmente a pé. Com o fim das atividades de duas empresas do Consórcio Santa Cruz, 38 linhas pararam a circular. O consórcio providenciou o retorno das linhas após muita reclamação dos usuários, mas o lado mais prejudicado ficou sem suas linhas principais. Enviamos correspondência à SMTR pedindo o retorno de linhas como a 689, 926, 737, 784, 684, 923 e 370. Somente na segunda quinzena o 689 retornou, mas para nossa surpresa o trajeto foi encurtado até somente Cascadura, enquanto o preço continua o mesmo. No fim de maio retornou a linha 926. Mas muito falta além de linhas que não retornaram, como uma melhora das linhas existentes, pois o espaço entre carros é demorado.

 

Integração Zero: Cadê o 739?

 

739 no coletivo micro onibus

739 no coletivo micro onibus

739 micro onibus

739 micro onibus

A linha 739 faria a verdadeira integração do bairro de Realengo. Infelizmente isso não ocorre por descaso da AUTO VIAÇÃO BANGU e por falta de fiscalização da SMTR.

Para solucionar este problema basta atender aos pedidos dos usuários da linha que são os moradores dos sub-bairros como Batan, Jardim Novo, Barata, Além do bairro de Padre Miguel.

Confiram a troca de emails entre a redação do Realengo em Pauta e a Secretaria Municipal de Transportes.

resposta da SMTR email do realengoempauta para SMTR resposta da SMTR

 

nas fotos abaixo a reprodução de aplicativos que monitoram localização dos onibus por GPS no Rio de Janeiro.

Captura de tela 2015-05-27 13.36.01 Captura de tela 2015-05-26 11.25.36 RP14-JUNHO capa

 

Resgatamos em nosso arquivo o que a leitora Cintia Pessoa escreveu em Fala Realenguense na nossa edição nº 7.

Sou professora, artesã, nascida e criada em Realengo. Vejo as dificuldades deste lugar durante quase toda a minha vida!

Um dos grandes sofrimentos vividos aqui é a situação dos transportes… Moro no Batam, estudo na Simonsen e não existe uma condução para ir até lá! Vou até o Centro do Rio numa condução só, porém, para ir para Padre Miguel, são duas! Ou então, caminhar bastante… Mas nem preciso ir “muito” longe: sou consumidora de uma loja de artesanato que fica bem próxima da praça de Realengo e tambémRealengo em pauta - tabloide -novembro-7 edicao preciso fazer caminhadas para chegar até lá, ou seja, de Realengo até o “outro” lado de Realengo. Dependo de kombis que vivem lotadas e, quem tem RioCard, não pode fazer uso pois as mesmas não aceitam esta modalidade de pagamento. E as crianças que estudam na Nicarágua? Bem, as mães colocam os filhos em escolas públicas e pagam transporte particular para que seus filhos possam estudar. Eu acho um absurdo! Ah, e os idosos? Esquece, esquecidos totalmente!

Existe também a dificuldade para ir até Marechal Hermes, ou até mesmo a escola Rosa da Fonseca. É a mesma situação. Tanto faz, 739 ou 820, não dão lucro, não é mesmo? A prioridade não é bem estar público e sim o lucro. Solução: ou pagar o que já relatei, transporte ruim de kombis, ir para a escola de carro particular e pago ou, mudar de bairro…

O tempo não me permite falar mais, porém temos também uma deficiência em lazer, comércio, escola…

Deixo aqui um abraço esperançoso de alguém que gosta muito de viver neste bairro e que crê nas mudanças.

Cynthia Pessoa

Moradora do lado Norte

ReP13- EDITORIAL-CHEGAMOS A ABRIL

11182156_989531724412808_5992229913053305426_n

 

CHEGAMOS A ABRIL

O mês de Abril chega e para Realengo SEMPRE será marcado pela tragédia da Escola Tasso da Silveira. Sempre prestaremos aqui homenagem aos nossos 12 anjos. Nunca deixaremos esquecer essa tragédia. E sempre tentaremos cobrar atitudes para que em nenhuma escola isso se repita. Mostramos nesta edição o drama das porteiras que foram contratadas após a tragédia. Acompanhamos o realenguense Vitor que atua na Casa Fluminense no debate em Senador Câmara sobre mobilidade. A primeira forania traz a palavra do Vigário Episcopal padre Felipe. Na UPP Batan o tempo de pascoa traz distribuição de ovos e bombons na sede e nas ruas do conjunto Agua Branca. Batemos novamente na tecla das chuvas nas ruas do bairro e apresentamos foto da rua gen. Raposo. Além de nossas colunas Ética e Cidadania e Deu no Blog convidamos você a leitura dos artigos dos realeguense Luiz Carlos Chaves e Carminha Morais. Boa leitura

Mc.Magalhães: Ícone da Cultura Funk Carioca.

Mc.Magalhães e Marcelo Gularte que dirigiu o documentário. foto Cleber de Jesus

Ícone da Cultura Funk Carioca

Marcelo Gularte, morador de Realengo, cineasta que dirigiu o premiado curta “Bangu Território em Transição”. Fez dia 1° de maio a pré-estreia, na sede do Bangu Atlético Club, do seu mais novo documentário, também um curta, “Mc Magalhães uma Lenda

Viva do Funk”. O filme conta um pouco da história desta pessoa emblemática da cultura funk que é conhecida em toda a cidade do Rio de Janeiro, sobretudo na Zona Oeste.

 

O diretor, habilmente alterna imagens do protagonista em diferentes locais da cidade do Rio, com depoimentos de Marcus Faustini, Chiquinho do Pandeiro, DJ Marcelo André, MC Leonardo, Clécio Régis, Mc Marcinho entre outras pessoas que conhecem e admiram o trabalho de Magalhães, além de sua mãe, D. Vera. As imagens do MC corroboram os adjetivos que os depoentes atribuem a ele: alegria contagiante, simplicidade, pureza, humildade e garra e afirmam a importância que ele tem para a cultura popular carioca. Gularte aborda ainda, a querela judicial com a Furacão 2000, que teria se aproveitado da simplicidade e pureza do Magá.

 

 

O “Rap do Trabalhador” tornou Magalhães conhecido em todo o Brasil, e é sua composição de maior relevância e reconhecimento. Esta música fez muito sucesso na década de 90 e inseriu Magalhães no cenário do funk, com o seu jeito crítico e peculiar de compor. A música trás uma crítica política a maneira como a prefeitura, sob a administração do então prefeito, César Maia, reprimia os vendedores ambulantes na cidade e fala do cotidiano do MC.


Rap do Trabalhador – autoria de Mc. Magalhães

 

 

Tchurunanublaze............Maroulive
Tchurunanuglanver.........Maroulevre
Vendo Chokito-ô............Marouglive
Tira o Pali-blazer............Lalalalá
Vendo bala....................eu Trabalho
Vendo Chokito-ô............Magalhanze
Trabalhador-ô.................quele Rap
Euuueuderado................temarada
Vende Bombom-ô..........Magalhanze
Considerado-ô................qualquer parada
Compro barulho-ô...........Magalhanze
Trabalhador-ô..................vendo bala
Tomaram minha caixa.....de bombom-ô
Do serenata....................de amor-ô
Aquele Rap.....................eu trabalho
Considerado-ô.................patabalho
Vou pro Coleginho-ô.........César Maia
Quebrou a firma...............César Maia
Todo mundo duro-ô.........Magalhanze
"Agora dança do Magalhães vai lá
ôôôô.......Magalhanze"
É quatofunke..................Maroulive
Tchurunanublaze............Marioklunfer
Cato garrafa....................No Mackenzie
É Magalhanze................Magalhanze
Você trabalha..................Vende Chokito
Tchurunanublaze.............Maroulive
Tchurunaluglanve.............lalalalá
Considerado-ô.................me pegaro-ô
Tomaram minha caixa......de bombom-ô
Serenata de amor-ôôô......Magalhanze
A Verdade.......................a verdade
Mando nas mulheres........eu que mando
É eu que mando...............Magalhanze
Você que é o cara............Magalhanze

 

Amigos do Magalhães na pré-estréia em Bangu. Foto Fernando Machado

Ignorando preconceitos gramaticistas, concordo com Marcus Faustini quando diz que existe sofisticação em sua composição e ele parece flertar com a poesia concreta, ainda que nem ele mesmo saiba disso.

Magalhães e sua mãe Dona Vera.(momento família.) foto cedida pelo blog Pró-Realengo

Magá assistindo atentamente o documentário sobre ele. foto cedida pelo blog Pró-Realengo

O talentoso artista multimídia Marcelo Gularte, mais uma vez ratifica seu compromisso com suas raízes e volta seus olhos aguçados, para a zona oeste. Esta região da cidade que é extremamente esquecida por projetos culturais enquadrados ou não em editais públicos ou leis de incentivo a cultura. E tem uma carência enorme de espaços culturais públicos.

 

 

 

O filme, por se tratar de um curta metragem tem sua limitação temporal, e quando estamos nos divertindo e apreciando conhecer um pouco da vida de Magá, abruptamente ele acaba nos deixando um “gostinho de quero mais”.


 

Por Armando Gamboa  / Produtor Cultural


Outras referencias a ele na Net. http://www.funkderaiz.com.br/2009/02/mc-magalhaes.html

No Blog pró-Realengo

http://www.pro-realengo.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=509:magalhaes-um-famoso-desconhecido&catid=49:dicas&Itemid=57

No Youtube

http://br.youtube.com/watch?v=mF45tgIkv7I

Olhem a montagem do “Rap do Trabalhador”

http://www.youtube.com/watch?v=iZ8f9PccIJY

CONSELHO COMUNITÁRIO DA UPP BATAN

CONSELHO COMUNITÁRIO DA UPP BATAN 02/10/2012

A reunião do conselho comunitário do Batan começo com o Cap. Marlon dando boas vindas a todos e solicitou que a soldado Debora fizesse a leitura da ata da reunião anterior. Foi então formamada a mesa presidida pelo Cao. Marlon e tendo a presença da  representante da UPPsocial da PCRJ Teresa Labrunie, de Cynthia Nascimento (projeto territorio da Paz) Clarisse (CRAS), Sr. Carlos Augusto representando a associação de moradores do Batan e o Sr, Jorge pela Cet Rio.

O cap. Marlon iniciou falando sobre a sua chegada a UPP Batan e a ocupação do Fumacê que de agora será chamado de Agua Branca. Falou sobre o aumento de efetivo de 20 homens subindo de 127 para 147 e tendo recebido também 02 viaturas. Disse que está trabalhando para trazer aulas de balé para a comunidade e que ocorrerá a inauguração da UPP Agua Branca. Informou também que ocorrerá uma ação global em cada UPP.

O Cap. Marlon franquiou a palavra a sr.ª Isabel da Firjan que explicou sobre o projeto Investe-Rio) Informando que as pessoas interessadas em obter microcredito poderão procurar o sr. Weber que está todos os dias na tenda junto a porta da UPP no horario de 9h ás 17h.

O sr. Jorge falou sobre as solicitaçãoes de quebra-molas nas principais da comunidade e que existe um estodo e que seria necessário a obra de urbanização do local. E que ao analizar essas solicitações a prefeitura analise também os casos de atropelamento registrados pela CetRio. E informou que já foi solicitada a pintura da rotula na estrada do Engenho.

Foi colocado os problemas de transito como de carros mal estacionados, bem como abusos de pessoas  que trafegam de moto. O sr. carlos Augusto exclareceu que os moradores deviam da o exemplo e que nem sempre encontra eco nesses moradxores. E que a G.M ainda não deu resposta para a associação. Cynthia informou que ainda não foi possível incrementar o ensino a distancia na comunidade e que os interessados deverão procurar o plo da Silva Cardoso em Bangu.  O cap. Marlon falou que que recebe  queixas sobre o campo de futebol. O representante do campo falou que lá existe 2 projetos: o projeto Zico e o Rio em Forma e que não tem como controlar os que jogo que occorem de madrugada. Ouve reclamção contra o motel Espinha que encontra-se abandonado e vira area que os drogados utilizam para consumir drogas. Outro ponto que merece a atenção da UPP é a passarela já que tem registrado casos de furto em diferentes horas do dia. A srª Margarete , mãe representante do Colegio Costa do Marfim reclamou que a escola esta muito suja e pede que a comlurb faça algo na região interna do colegio. O representante da Comlurb informou que a aprte externa está sendo limpa, mas que a parte interna é um grupamento especial e que deveria cobrar na 8ª CRE. A propria soldado Debora ratificou a informação da moradora dizendo que em relação a outras escolas a Costa do Marfim é a que tem o aspecto mais sujo. A mão representante informou que já foi feito um abaixo-assinado e que foi entregue na 8ª CRE. Alguns moradores reclamaram que na localidade de morrinho acima da Casa da Shallow tem tido constante som alto após 22h funks. O Cap. Marllon informou que terá atenção com essa situação do morrinho e que lá será realizado a festa das crianças.

mesa do conselho

Colocou os telefones da UPP a disposição, sendo o  cel 8596805 que é de pronto atendimento e o da sede UPP 23334985 e também informou o do disque-denuncia caso alguem deseje contribuir para alguma denuncia pelo22531177. Ao fim o Cap. Marlon agradeceu os presentos a presença e convidou para a inauguração da UPP Agua Branca (antigo Fumacê)

Weber do Invest Rio

Ao Final o Cap. Marlon nos concedeu entrevista e colocamos aqui o audio da mesma.Cap Marlon UPP BATAN

O POVO E A MÍDIA

O POVO E A MÍDIA

O ano de 2011 começou com novidades no oriente médio. Mas precisamente no Egito onde uma combinação na dose certa. Um povo oprimido a décadas e uma mídia renovada utilizando a plataforma das redes sociais pois fim a ditadura de 30 anos de Mubarak. Não vamos esquecer que foi preciso ao POVO sair de sua inércia e ir para ruas, mas para isso existiu um movimento da MÍDIA bem articulado para convencer a esse POVO a tomar as praças e até a perder vida para mudar um regime que há 30 anos lhe oprimia.

Também aqui no Brasil, no Rio de Janeiro, na Cidade Maravilhosa e precisamente em Realengo temos novidades. Um jornal que irá ajudar as famílias residentes no bairro a perceber que muita coisa pode ser diferente. Mas não mudará apenas porque temos um jornal, pois também lá no Egito o regime não cairia só pela Mídia pelas redes sociais. O povo teve que ir às praças. Aqui também podemos ir às praças e veremos que muitas estão mal cuidadas. Veremos placas de obras que não perguntaram a nós moradores se eram tão necessárias. Veremos ainda faixas de vários políticos agradecendo a eles mesmo por obras que o dinheiro de impostos que pagamos e que a prefeitura faz em retribuição a quanto que pagamos e olha que o impostômetro anda subindo cada vez mais. Ano que vem teremos eleição para prefeito e vereador e você sabe em quem votou pela ultima vez para vereador, prefeito? Sabe quem foi o vereador que criou a taxa de iluminação que onerou a nossa conta de luz. Votaria nele para lhe representar na próxima eleição?

O Realengo em Pauta será parceiro do povo que quiser mudar o lugar que moramos. Mas para isso os moradores do bairro devem sair da inércia e começar a lutar para melhorias no saneamento do bairro, nos transportes, nas ruas, nos acesso para pessoas com necessidades especiais. Nós vamos mostrar as diferenças entre a cidade da zona sul e da zona oeste. Suburbanos com orgulho sim, mas com muitas carências que cabe ao poder público melhorar e nunca… Nunca… Nunca ser feudo de ninguém. Queremos Ética e Cidadania para Realengo.  Queremos participar dos projetos que são destinados ao nosso bairro. Queremos sim melhorias para Realengo de Norte a Sul. Para Jardim Batan, Jardim Novo, Parque Centenário, Capitão Teixeira, Barata, Av. Santa Cruz, Estrada da Água Branca e Fumacê.

Marcelo Queiroz – Morador do Parque Real – Lado Sul