Justa homenagem aos Anjos de Realengo, mas o local gera controvérsias.

EXCLUSIVOO Jornal Realengo em Pauta e o Blog Pró-Realengo ouviram as mães, os moradores e o poder publico .

As mães pediram a prefeitura esta homenagem através da Associação de pais dos Anjos e a homenagem será inaugurada no dia 20 de setembro (domingo)  as 09 horas da manhã, atrás da Escola Municipal Tasso da Silveira, na praça agora chamada “Anjos da Paz” , esquina das ruas Jornalista Marques Lisboa e Almirante Clemente Pinto.

anjos vizinhos contra anjos estatua 2 anjos praça Anjos

De um lado a Associação sugere uma homenagem, do outro a prefeitura abraça a ideia, e no meio disso tudo o local não foi unanimidade entre nenhuma das partes. nem mesmo dos vizinhos que acham que a prefeitura deveria olhar para o local anteriormente, só lembrou desta praça agora.

Adriana Silveira, presidente da Associação dos Anjos de Realengo, nos faz um relato destes quatro anos de saudade junto com outras mães e parentes, a respeito da luta das mães dos Anjos de Realengo.

É uma luta desigual, mas a luta continua e contamos com o apoio da população que sempre esteve ao nosso lado, e continua mandando uma palavra de conforto uma palavra de carinho e isso tudo nos ajuda a se manter e pé, pois vivemos de altos e baixos e quando uma mãe está mais fraquinha vem outra e ajuda e vice e versa.

Hoje lutamos não mais pelos nossos filhos, mas pelos filhos de nossos amigos e vizinhos por todas as crianças de nosso país. Queremos o direito de botar nossos filhos dentro da escola e ter a certeza de que vamos voltar e pegá-los com vida, pois a situação da segurança das escolas está precária, os vigias e porteiros já foram retirados, ficaram durante três anos e agora todos já foram mandados embora, ou seja foi uma solução temporária.

A Homenagem aos Anjos, em forma de estátua.

anjos estatua 1

E nós estamos pra receber uma homenagem em forma de estátua em tamanho real aqui em Realengo, e já que Realengo está pra fazer 200 anos, que possamos receber este presente, em uma praça digna, uma praça legal, onde nossas crianças possam ir, brincar com segurança. Mas estamos sem local definido, optamos pela Praça Piraquara que é uma praça de fácil acesso a tudo, é bem visível enfim, mas estamos enfrentando o dilema que a nossa prefeitura se recusa a cobrir parte do Rio Piraquara (atualmente o rio a divide). Assim ficaria uma praça única e mais segura, como já foi feito em outro rio no mesmo bairro, portanto é viável; juntamente com uma reforma, pois como hoje está nem podemos chamar de praça e sim logradouro público, tanto as crianças quanto os 200 anos do bairro merecem uma nova praça.

Hoje a gente pede isso à prefeitura do Rio de janeiro, ou mesmo que a iniciativa privada abrace esta causa e adote a praça fazendo as reformas necessárias. E as empresas poderiam se valer de incentivos fiscais.

O Jornal Realengo em Pauta (JRP) e o blog Pró-Realengo (BPR), a convite da presidente da Associação de Pais e Amigos dos Anjos,  Srª. Adriana Silveira encontrou-se com o Chefe de Gabinete do Prefeito, Luiz Henrique David de Sanson, onde foi sugerido que uma pequena parte da Praça Piraquara fosse feita uma cobertura do Rio como foi feito no Rio Catarino, na Rua Luiza Barata, que em sua quase total extensão da rua ele é coberto e constam alguns mobiliários urbanos sobre o mesmo.

No dia 5 de março de 2015 em plena Praça Piraquara,  conversamos com o Sr. David.

anjos praça Reunião Piraquara 2 anjos praça Reunião Piraquara 3 anjos praça Reunião Piraquara

Quando chegamos, o Sr. David já estava conversando com a Srª. Adriana e outras mães.

-A Prefeitura está fazendo 70 Clinicas da Família, 130 escolas, a gente tá fazendo Transolímpica, Transoeste, tem Olimpíada, a gente está num momento de gestão… é complicado não faz sentido nenhum, cobrir um rio pra fazer uma praça dos sonhos, fazer uma praça “Maravilhosa”.

Adriana- interveio : Fazer uma praça decente…

Sr. David: A praça vai ser decente…não há a menor hipótese de se cobrir um rio…Pô, Adriana na boa, cobrir o rio pra fazer uma praça dos sonhos, uma praça maravilhosa, já tenho falando isso a um bom tempo com vocês…

Neste momento o administrador do blog Pró-Realengo, convidado pelos anjos de Realengo, dirigiu a palavra ao Sr. David, com o celular em punho, e este lhe perguntou: “Tá Gravando ? Então me avisa quando estiver me gravando?”

Neste momento o Sr. (Luiz Fortes), representando o Pro Realengo e o Jornal Realengo em Pauta, confirmou: “estou gravando, comecei agora a pouco, quer que eu apague, e recomece?”

Nós somos do blog Pró-Realengo, e do Jornal Realengo em Pauta, e a gente faz uma cobertura aqui no bairro. Ecoando as Reivindicações dos moradores e não é a nossa palavra, é sim os que os moradores externam.

RP/PR:  Praça Piraquara – Então hoje em dia nós temos duas meias praças, por que o rio corta ela ao meio, então não temos praça nenhuma e sim duas meias praças, as reivindicações delas nós achamos interessante, e vimos que isso já foi feito lá no Rio Catarino, na Rua Luiza Barata onde o rio foi transferido para a rua, pois originalmente o rio era na Rua Helianto [neste momento ele chamou um assessor chamado João e se desculpou pois infelizmente tinha que chamar quem conhecesse; [repetimos para que entendesse a conversa]

E vimos que isso já foi feito, foi mudado o curso para ele vir para a Rua Luiza Barata, e lá ele foi parcialmente coberto, passa carro de um lado, passa carro de outro e na parte central onde passa o rio atualmente, está canalizado bonitinho com alguns brinquedos, algumas partes de caixa e visita, que tinha grade (passei antes de vir para cá e constatei que sumiram. Roubado?)

O Sr. João interveio e explicou que o rio passava na verdade nos fundos das casas e a Rio Águas aprovou o desvio do rio…

Sr. David complementou: Só para te falar Luiz, não é inviabilidade técnica é demanda de recursos, então assim só para gente entender. Essa explicação toda, dada por você é pra poder mostrar pra gente que seria viável fazer uma coisa similar que foi feita lá atrás , isso é ponto pacífico a gente tem essa clareza, agora aqui agora o que não podemos permitir é que se crie a expectativa de se fazer uma cobertura do rio pra você unificar a praça é um projeto maravilhoso.

anjos rio catarino 2anjos rio catarino

Mas que hoje nós não temos condição de fazer isso.

Não é viabilidade técnica obviamente, teria de se fazer um estudo ambiental, pra poder saber…Estou aqui tomando frente sem saber se poderia ser feito ou não. Eu acredito que não teria obstáculo, que no caso e a demanda de recursos, e o que eu estou entendendo, o pleito aqui não é só da Associação Anjos de Realengo, é um pleito também dos moradores que se faça uma praça unificada, e o que eu estou colocando enquanto Poder Público, aqui é o seguinte, a gente tá fazendo uma série de investimentos na cidade, então tá num período de contenção de gastos mesmo.

Então se você me perguntasse. Ah David, quanto custaria pra fazer a cobertura do rio?

Não é uma intervenção simples, a gente não vai chegar aqui e unificar as duas praças, é uma obra pesada que vai demandar recursos, há uma expectativa enorme com isso e ao mesmo tempo se cria uma frustação a gente fala que não vai fazer, e não necessariamente o fechamento do rio é determinante para se ter uma praça bem feita.

A gente pode fazer um belo projeto, uma bela reforma unificando as duas praças. A ponte está muito feia? Beleza! A gente faz uma melhora nessa ponte, não significará que a gente precisa cobrir o rio. Só acontecerá um projeto bacana se a gente cobrir o rio? Não, não é verdade!

GEDSC DIGITAL CAMERA GEDSC DIGITAL CAMERA

RP/PR: Nesse momento intervimos dizendo que não era cobrir o rio e sim parte dele no máximo 30 metros.

David: É cobrir o rio…

RP/PR: Para nós, cobrir o rio é cobrir o rio todo, estamos falando de uma pequena parte da praça, só na parte central dela. E você está falando que não tem recurso da Rio Águas?

David: Não é questão de não ter recurso. Recurso a prefeitura tem, só que a gente é gestor, então é assim… Não estou falando que a prefeitura não tem dinheiro pra fazer essa obra, obviamente tem!

Agora você tem o orçamento familiar, você controla ele, dentro das suas prioridades.

RP/PR: Nós íamos contestar que na Praça Guilherme da Silveira (Bangu), estão construindo uma pista de Skate de Zona Sul, o projeto é o mesmo projeto da Zona Sul, maravilhoso diga-se de passagem, mas é a Secretaria de Esporte.

David: Que bom que está acontecendo um investimento desses, com padrão Zona Sul aqui na Zona Oeste. A gente tá fazendo licitação de 60 clínicas da família, 70% ou 80% delas ficarão aqui na Zona Oeste.

RP/PR: É onde vocês  tem mais votos!

David: Não é questão de mais votos. Voto é consequência, ele não é causa. A verdade é que tínhamos uma Zona Oeste abandonada e é a população da cidade do Rio de janeiro, que mais precisa  de atenção. Na Zona Sul, só precisa de manutenção ela está toda pronta.

A nossa proposta aqui como Prefeitura é fazer uma reforma legal na praça, entregar uma praça a população a comunidade. Agora sem essa cobertura do rio. Temos de jogar com a verdade, pois não vou ficar criando expectativas que a gente não vai conseguir corresponder.

Adriana Silveira: Qual é a proposta?

David: Gente uma reforma na praça e a implantação do monumento. Se não atende, a gente busca uma outra alternativa de uma praça na região. Simples.

anjos parentes 3 anjos parentesanjos parentes 2

Adriana Silveira: Não é a Associação, é a população. Não tem praça para as crianças, não tem um lugar legal pra ficar, aqui seria o ponto que  todo mundo viria.

David: Adriana, Adriana … Concordo e a praça vai existir a partir da reforma.

Tem um projeto? (Perguntou outra mãe que estava presente.)

 David: A gente elabora um projeto. É isso que a gente vai discutir agora excluindo de qualquer discussão a cobertura do rio. Ah, vamos botar uma ATI (Academia da Terceira Idade), vamos botar um Play Ground, vamos botar um balanço, vamos fazer isso, vamos fazer aquilo. A gente abre para uma discussão. Agora cabe a nós enquanto gestores é poder ter isso claro.

 

 


Vejam o vídeo com reclamações dos moradores das ruas próximas onde será colocada a homenagem. Eles são contra a escolha do local.

 


 

Independente desta polêmica toda, nós como midas voltado para o bairro e que sempre se preocupa em valorizar o bairro, vê com imenso orgulho receber obra de tão renomada artista, com prestigio internacional no ano em que o nosso bairro comemora 200 anos.

Cristina Motta  artista renomada internacionalmente é a autora da obra.

Cristina Motta- Autora da

Cristina Motta- Autora da obra

Artista plástica Christina Motta, criadora de diversas obras tais como as esculturas de Brigitte Bardot e dos pescadores no mar, em Búzios. Além disto tem trabalhos destacados, como a escultura de Juscelino Kubitschek, e a de Chico Mendes, em Rio Branco, Acre. Christina é referência no Brasil e no exterior. Tem trabalhos expostos em São Paulo (como o “Paulistano”, no Parque do Povo), na Inglaterra, nos Estados Unidos, na Holanda, no Japão e em diversas cidades brasileiras. Na cidade do Rio, são suas criações as esculturas do Tom Jobim, Cazuza, Carmem Miranda e Tim Maia .

http://www.christinamotta.com.br

#realengo200anosreal engo200

 

 

@nytimes, #nytimes , @thewashingtonpost, #thewashingtonpost, @thewallwtreetjournal, # thewallwtreetjournal, @usatoday, #usatoday @latimes, #latimes, @elpais, #elpais, #lefigaro @lefigaro @lemonde, #lemonde @theguardian, @theguardian, @thesun #thesun, @thetimes, #thetimes, @corrieredellasera, # corrieredellasera, @folhadesaopaulo, #folhadesaopaulo, #bbcbrasil, @bbcbrasil, @afp, #afp, @ebc #ebc, @ageinciajb, #agenciajb, agenciaglobo, #agenciaglobo, @bandnews, #bandnews, @cnn, #cnn @g1, #g1, @globonews, #globonews


O verde vira cinzas.

O verde vira cinzas.

Imagem00001

Serra do Barata queima lentamente. foto: Luiz Fortes

No dia mais quente do inverno, além da população sofrer muito com esta sensação de forno, o meio ambiente também sofre com esta seca.

Este é um flagrante captado no inicio da noite do dia 31 de agostos de 2015.

Serra do Barata, no Maciço da Pedra Branca um incêndio vai queimando lentamente a floresta que seria a solução para a melhoria do nosso ar.

Imagem00003

foto : Leandro Fraga

Ontem também recebemos esta denuncia do leitor Leandro Fraga, mas não tivemos tempo hábil para denunciar.

 

 

 

 

Marcelo Rodrigues leitor do blog pro-Realengo enviou esta filmagem.

Foz Águas 5 : INSCRIÇÕES ABERTAS PARA OFICINAS DE ARTICULAÇÃO COMUNITÁRIA

Inscrições Abertas. Curso Gratuito.

Articulação Comunitária para Moradores de Realengo com certificado da UNESCO.Somente 25 vagas. Inscreva-se www.fozaguas5.com.br

Como parte do projeto Encontros para uma Zona Oeste Sustentável, em parceria

Divulgação

Divulgação

com a UNESCO, a Foz Águas 5 realizará oficinas de Articulação Comunitária na Estação de Tratamento de Esgoto Constantino Arruda Pessôa, em Deodoro. As oficinas para os moradores de todo Realengo iniciam-se no dia 12 de setembro e têm inscrição gratuita com direto a certificado da UNESCO para todos os participantes. Os interessados devem preencher a ficha de inscrição para concorrer a uma vaga. Vagas são limitadas a 25 participantes. Inscrições até 03 de setembro. 

Acesse o link http://www.fozaguas5.com.br/zonaoestesustentavel/ e faça já sua

Uma vez que o acesso aos serviços de saneamento básico é entendido como direito fundamental coletivo e individual, as percepções vividas pelos participantes serão o ponto de partida para a compreensão dos problemas relacionados à falta de saneamento e sua

consequência na interação com o meio ambiente. Assim, o objetivo das oficinas é apresentar aos participantes ferramentas e instrumentos de organização e mobilização comunitária, tendo como prática final a elaboração e a execução de uma campanha local para incentivar a comunidade a se conectar a rede de esgoto.

As inscrições estão abertas até o dia 5 de agosto para a 1° turma e as vagas são limitadas. Inscreva-se: www.fozaguas5.com.br

Mais informações pelo e-mail comunicacao@fozaguas5.com.br.

CRIME AMBIENTAL CONTRA PALMEIRA CENTENÁRIA.

CRIME AMBIENTAL CONTRA PALMEIRA CENTENÁRIA.

É com muito pesar que comunicamos a morte desta Palmeira, que por muitos e muitos anos ornamentou a entrada da Fabrica de Cartuchos e resistiu bravamente ao abandono sem cuidados algum, somente com a própria natureza lhe dando sustendo… Mas a mão do homem teima em destruir o que Deus criou e cuida silenciosamente.

Antes  e Depois de sufocada por entulhos.

Antes e Depois de sufocada por entulhos.

Em menos de um ano como essas fotos retratam, o despejo de entulhos promovido pela empresa Foz Águas 5, que transfere para o local montanhas de entulho excedente que retira das ruas do bairro, onde vem implantando a rede de esgoto e põe na calçada da antiga Fabrica de Cartuchos, este procedimento sufocou a planta na raiz, causando sua morte.

E o que se vê agora é que somente uma vai resistindo bravamente aos maus-tratos promovidos pelo homem, infelizmente não se sabe até quando ela vai sobreviver.

Rua Pedro Gomes, onde ainda resistem a ação do homen.

Rua Pedro Gomes, onde ainda resistem a ação do homen.

Obs: Tanto na frente quanto nos fundos, duas dessas Palmeiras foram plantadas e segundo dizem historiadores, elas serviam como marco natural para o caminho da Família Imperial, e as do fundo seriam uma marcação de rota alternativa, para que a diligência desviassem de possíveis ataques sem perder o rumo.

ppalmeiras_9479

Entulhos sufocaram estas palmeiras Imperiais.

Obs: Este local atualmente é alvo de uma briga entre uma Fundação Habitacional (ligada ao Exército) leia-se POUPEX e o Movimento Popular “ O Realengo Que Queremos” ,que reivindica para o local a implantação de um parque Ecológico, já chamado de Parque Realengo Verde. Como esta briga já se encontra na justiça, roguemos aos céus que a decisão seja para o povo, que não tem opções de  lazer, nem local apropriado para caminhar, correr etc.

Local: Rua professor Carlos Wenceslau, em frente a Antiga Fabrica de Cartuchos. (atrás da igreja Nossa Senhora da Conceição)

‪#‎fozaguas5 ‪#‎parquederealengoverde   (obs: Parcialmente resolvido, pois não jogam mais entulhos nelas…mas ressuscitar impossível)

Luiz Fortes morador da rua do Imperador, lado Sul – Criador e administrador do blog Pró-Realengo

ENCHENTE NA RUA GENERAL RAPOSO

gen raposo 3 29032015gen raposo 4 22032015As eleições se passaram. Os candidatos eleitos são os mesmos e nossos problemas também. Quando chove nossas ruas enchem. Chuvas rápidas e não temporais. Parece matéria repetida mas não é já retratamos aqui fotos da Pedro Gomes tiradas pela moradora Sonia Regina e agora nosso fotógrafo é o Thiago Machado da rua General Raposo. As obras prometidas não são feitas.

gen raposo 1  29032015gen raposo 1 22032015

ReP13- EDITORIAL-CHEGAMOS A ABRIL

11182156_989531724412808_5992229913053305426_n

 

CHEGAMOS A ABRIL

O mês de Abril chega e para Realengo SEMPRE será marcado pela tragédia da Escola Tasso da Silveira. Sempre prestaremos aqui homenagem aos nossos 12 anjos. Nunca deixaremos esquecer essa tragédia. E sempre tentaremos cobrar atitudes para que em nenhuma escola isso se repita. Mostramos nesta edição o drama das porteiras que foram contratadas após a tragédia. Acompanhamos o realenguense Vitor que atua na Casa Fluminense no debate em Senador Câmara sobre mobilidade. A primeira forania traz a palavra do Vigário Episcopal padre Felipe. Na UPP Batan o tempo de pascoa traz distribuição de ovos e bombons na sede e nas ruas do conjunto Agua Branca. Batemos novamente na tecla das chuvas nas ruas do bairro e apresentamos foto da rua gen. Raposo. Além de nossas colunas Ética e Cidadania e Deu no Blog convidamos você a leitura dos artigos dos realeguense Luiz Carlos Chaves e Carminha Morais. Boa leitura

Estrada dos Teixeiras, um caminho viável até Jacarepaguá.

50 minutos caminhando sem pressa vamos de Realengo ao Boiúna”

 

Fica a dica de uma caminhada bem interessante.

GEDSC DIGITAL CAMERA

Sempre ouvimos falar que este caminho era praticável, mas agora comprovamos e ele existe há mais de meio século e as autoridades nunca colocaram em prática o seu uso, mas agora impõe uma via (Transolímpica) com tarifa de pedágio em perímetro urbano (discordamos totalmente desta cobrança).

A Aventura!

O grupo sócio cultural Maria Realengo organizou um passeio pela Serra do Jardim Novo na Estrada dos Teixeiras, com destino à Boiúna (sub-bairro de Jacarépagua). Adoramos a ideia, pois leitores anteriormente já tinham dado a dica que esta estrada é viável e bem cuidada, mas sinceramente desconhecíamos e sempre que perguntávamos um ou outro, as respostas eram parecidas ou desconheciam ou fazia GEDSC DIGITAL CAMERAtempos que não iam lá e tinham receio da violência ou o que se iria encontrar. Bom, para sabermos a verdade encaramos o desafio e nos preparamos para a empreitada, fizemos o registro fotográfico do local e contamos aqui a aventura.GEDSC DIGITAL CAMERA

 

Marcamos às 07h30min, mas alguns atrasos nos fizeram sair somente as 09:00 hs. Mas em 50 minutos chegamos à Taquara no ponto final do ônibus 761.

No início do caminho, que fica na Avenida Frederico Faulhaber, na junção da Manoel Nogueira de Sá, com Pirpirituba a Rua do Canal  atrás da Clínica da Família John Cribbin, área residencial bem simples. Motos e carros cruzam a via diversas vezes tanto subindo ou descendo. É um pouco estreita no começo, mas logo adiante ela fica mais larga e com trechos constantes de asfalto.

A impressão que se tem é que estamos em uma zona rural, com casas com quintais enormes e muitos animais como patos, galinhas, gansos e cabras livres nos terrenos com chácaras e roças tímidas em um ponto e outro encontramos córregos que surgem do meio das pedras e esquecemos que ainda estamos em Realengo.

Muitas casas simples e pequenos sítios ao longo do caminho volta e meia surge uma casa ou outra que ostenta certo conforto. Em algumas vezes no alto da serra, avistávamos bairros ao longe.

Depois muito verde ao por todos os lados, em um dado momento cruzamos com uma carroça que nos fazia lembrar ainda mais um lugarejo do interior realmente e um pouco mais adiante já na descida perguntamos a uma moradora que bairro era aquele,  esta foi rápida: Taquara.GEDSC DIGITAL CAMERA

E isso foi em menos de uma hora onde fomos curtindo, fotografando cantando, parando aqui ou acolá para apreciar algo.

Também encontramos lixo jogado nas encostas, indagamos algumas pessoas que afirmam que a Comlurb passa regularmente, e somente alguns moradores são realmente ignorantes.  Isso já no Bairro Boiúna avistamos o Hospital Santa Maria e vimos que a prefeitura está construindo um EDI (Espaço de Desenvolvimento Infantil) na Estrada dos Teixeiras.

Ai viramos à direita sobre uma ponte e fomos na direção do Lar Frei Luiz (não chegamos até lá, pois tomamos outro caminho).

Uma parada para um churrasquinho básico que foi preparado pelo Sidnei na Rua Pereiro, no bar Bicão de propriedade de Dona Célia… (que nos contou que todos domingo bem cedinho logo que ela abre, chegam dois senhores que caminham de Realengo, e param para molhar a palavra).

Energia Positiva.

Foi uma parada longa que terminou somente às 13h 47 min, onde ouvimos música, papeamos e descansamos para parte final… esta sim realmente de trilha (imaginem com a barriga cheia subir o morro novamente).

Foi um dia agradável e surpreendente, pois é muito prazeroso constatar que praticamente no quintal de nossa casa podemos estar em contato com a natureza e boa parte dela muito bem preservada. Não preciso descrever muito, pois as fotos falam por si. Em alguns locais constatamos que o replantio vem ocorrendo e em bem pouco tempo tudo vai estar GEDSC DIGITAL CAMERAnovamente reflorestado. Depois saímos numa trilha que sai atrás do Jardim da Saudade.

Atualizando. Esta publicação original foi feita no Blog Pró-Realengo em setembro de 2012 e sobre o asfalto é possível passar com tranquilidade com um carro alto, pois no trecho inicial ainda não asfaltado, existe trechos com certa dificuldade, mas superável. O caminho final da trilha não existe mais (saída atrás do Cemitério), pois com a Transolímpica, este trecho foi interditado.

Entrevista com Bruno Pereira Voghoan, administrador da sub-sede Piraquara, vertente norte do Parque Pedra Branca.

UB 047

Administrador Sr: Bruno

Bruno Pereira Voghoan, administrador da sub-sede Piraquara, vertente norte do Parque Pedra Branca.

 

RP: Quais atrações que a sub-sede oferece aos visitantes?

BV: Temos o Aqueduto que liga o Guandu até o Jardim Botânico, na Zona Sul, que tem três pontos visíveis: Viegas, aqui na sub-sede Piraquara, e na Estrada do Catonho. Por cima dele, quando o tempo está aberto é possível ver o Dedo de Deus, abaixo dele temos a parede de escalada artificial onde é possível fazer rapel. Temos duas piscinas naturais que agora por falta d’água, estão quase não existindo, já que estão com a vazão bem diminuída devido à falta de chuvas. Temos o parquinho para crianças com alguns brinquedos e as trilhas que existem no parque todo, Aqui temos três principais trilhas principais. Temos o livro de trilhas, e as pessoas podem procurar os guardas parques para fazê-las.

RP: Como é feita a segurança no Parque?

BV: Especificamente temos a Polícia Ambiental e o grupo de guardas parques. Melhorou bastante com a vinda da Polícia Ambiental, reduzindo muito o consumo de drogas, que era relatado por moradores antes da reabertura do parque.

RP: Nossa reportagem viu resíduo (lixo) que polui o parque. Existe algum trabalho de conscientização para os frequentadores?

BV: Temos placas indicativas para atitudes que não gostaríamos de ter aqui no Parque. O principal para nós é não colocar fogo. Não fazer churrasco, acender vela. O trabalho também dos guardas parques que procuram alertar sobre tudo para lixo e não permitimos garrafas de vidros ou animais domésticos que são proibidos em todo o parque e não somente na sub-sede Piraquara.

RP: O acesso ao parque é difícil, sem uma linha regular de transporte público. Qual o porquê de não se poder adentrar o parque de automóvel?

BV:  É uma determinação antiga até por não ter espaço físico para estacionamento. O que acontece desde 2 anos atrás é um movimento de 800 pessoas, e no sábado ou domingo cerca de 1000, não havendo espaço para todos. A autorização é para pessoas com restrições de locomoção. Nossa entrada de 450 metros faz parte da caminhada. Houve caso até de a ambulância da Samu teve dificuldade de entrar devido a carros estacionados na entrada do parque.

RP: E bicicletas porque são proibidas?

BV: Não. Bicicletas são permitidas sim e o parque tem um Bicicletário. A proibição quanto a bicicletas é somente nas trilhas para evitar a degradação das mesmas.

RP: Quais são os maiores problemas quanto a depredações que acontecem no parque?

BV: As maiores degradações são as pichações e os atos de vandalismo como a depredação de torneiras e ouros equipamentos do parque.

RP: Por ser uma área verde, vocês sofrem com focos de incêndios, nos fale sobre isso?

BV: Os focos de incêndio aconteciam de junho a setembro, hoje com as mudanças na natureza e a diminuição das chuvas e estamos indo para segundo ano com focos de incêndio nos meses janeiro e fevereiro numa época que sempre foi de chuva e quase não tínhamos incêndios. Praticamente estamos tendo um ano de focos de incêndio.  E este vertente norte, aonde as nuvens de chuvas não chegam, param na outra vertente, sendo a vertente norte mais quente e mais seca. O combate ao incêndio é cansativo e o acesso ao foco de incêndio também é cansativo, pois levamos um saco postal com 20 litros e mais o abafador. Acontece muito incêndio criminoso, sendo que balão diminuiu bastante, a maioria dos focos hoje em dia é resultante da queima de lixo ou de solo, para troca de plantação.

RP: E quanto a invasões a área do parque tem ocorrido?

BV: Não só nesta área da sub-sede como na área do parque todo, temos pontos específicos como Vargem Grande, Rio da Prata, aqui em Realengo tem acontecido bastante e recentemente tivemos na Boiúna, que teve repercussão na imprensa.

O Administrador Bruno Vogan nos informou que depois do Carnaval haverá obras, que já estão em andamento em Camorim, com várias reformas na sede e nos equipamentos do Parque.

Ataque ao IFRJ Campus Realengo

parque verde 01Uma tragédia anuncia e quantas delas acontecem. Na nossa edição de Dezembro levantamos a mais nova luta da sociedade de Realengo. O Parque Verde no antigo terreno da fabrica de cartuchos ao lado IFRJ Campus Realengo.

Na reportagem mostramos o abandono do terreno e sabemos que tudo que está abandonado é uma porta aberta para o consumo de drogas. Hoje no início da noite o IFRJ Campus Realengo foi atacado por usuários de drogas. Atiraram pedras e quebraram vidraças do instituto. Chamado ao local o Exercito alegou que o terreno pertence a Poupex. E a nossa pergunta é o que fazer ou quem chamar num momento destes.abandono 01

O povo já decidiu que quer a revitalização da área para fins de lazer. O poder público não se faz presente e dificulta o povo organizado de levar sua bandeira a frente porém é ineficiente em gerir o espaço com o mínimo de segurança.

O verde que queremos e queremos logo. Não ao condomínio e não a derrubada do verde que nos traz  como consequência  a escassez de água. Quem está atras deste interesse.10934725_1592577484310496_1294038629_n10937403_1592577814310463_383852008_n 10956094_1592577680977143_682340034_n

Rio Catarino no aguardo de obras e não de paliativos

Solicito a intervenção URGENTE na obra que está sendo realizada sobre a passagem das águas do RIO CATARINO, localizado à Rua Bernardo de Vasconcelos, esquina com Rua Vieira do Nascimento, ao lado do Colégio Mun. Gil Vicente, no bairro de Realengo – Rio de Janeiro – RJ.

MOTIVO: ESSE RIO É CAUSADOR DE INÚMERAS ENCHENTES E INUNDAÇÕES, PARALISAÇÃO DO TRÂNSITO, CASAS INVADIDAS PELAS ÁGUAS FÉTIDAS E DOENTIAS, CARROS BOIANDO, NÃO SE PODE SAIR OU CHEGAR… ( IR E VIR) ENFIM É UM SERÍSSIMO PROBLEMA PARA O BAIRRO E OUTROS BAIRROS VIZINHOS, JÁ QUE NÃO SE PODE ATRAVESSÁ-LO QUANDO ESSE RIO SOBE.

OBRA: ESTÁ SE DEMANDANDO MATERIAL, FERRAMENTAS, TEMPO, DINHEIRO… PARA SE FAZER A MESMA COISA DE ANTES (QUEBROU-SE A ANTIGA E SE FAZ A MESMA COISA, COM A MESMA ALTURA, LARGURA, A BASE É DE PEDRA DE MÃO ANTIGA).

É UMA SACANAGEM, DESCULPEM O TERMO, É UM ABSURDO O QUE ESTÁ SE FAZENDO, UMA VEZ QUE ESSA OBRA NÃO IRÁ RESOLVER OS TRANSTORNOS DAS ENCHENTES, POIS A PONTE É BAIXA, ESTREITA E IRÁ RETER O FLUXO D´ÁGUA COMO ANTES, CAUSANDO  CONSEQUENTEMENTE AS ENCHENTES.

POR FAVOR, SOLICITAMOS EU, E OS MORADORES DO BAIRRO, UMA SUPERVISÃO IMEDIATA PARA ESSE ABSURDO, POIS JÁ FIZEMOS INÚMERAS RECLAMAÇÕES À PREFEITURA, MAS SÓ HÁ RESPOSTAS SEM SOLUÇÃO (DESCASO)!!

EM TEMPO: A obra não tem placa, não sabemos quem a realiza, é um absurdo quem permite, assina e projeta uma coisa dessas. É UMA OBRA QUE NÃO IRÁ SERVIR DE NADA PARA A REAL SOLUÇÃO DAS ENCHENTES E INUNDAÇÕES CAUSADAS PELO RIO CATARINO EM REALENGO.

É DE URGENCIA UMA CONSTRUÇÃO MODERNA, QUE DEIXE ATRAVESSAR O FLUXO COM SUA VAZÃO D´ÁGUA E NÃO A INTERCEPTAÇÃO DAS ÁGUAS. GRATO.

ESPERO NÃO SOFRER REPRESÁLIAS PELA MINHA PARTICIPAÇÃO COMO CIDADÃO QUE CRITICA, SUGERE E DEFENDE O BAIRRO ONDE MORA, E ACIMA DE TUDO COLABORADOR, CIDADÃO, DO MEU MUNCÍPIO. SDS. ( EM 26/06/2013)

EM 19/07/2013 – VOLTO COM O ACIMA EXPOSTO E ACRESCENTO QUE NÃO FOI TOMADA NENHUMA PROVIDÊNCIA, SOBRE A SOLICITAÇÃO ACIMA.  A OBRA ESTÁ QUASE TERMINADA, PORÉM ALÉM DE NÃO SOLUCIONAR OS PROBLEMAS DAS ENCHENTES, FOI CRIADO OUTRO PROBLEMA PARA NÓS MORADORES, UMA VEZ QUE NA METADE DA PONTE,  APARECEU  UM VAZAMENTO DE ÁGUA, ONDE PASSA UM CANO DA CEDAE QUE ABASTECE UMA PARTE DO BAIRRO.

NÃO HÁ MOVIMENTO DE TRABALHADORES, JÁ FOI RETIRADO O CONTAINER QUE SERVIA DE APOIO A OBRA, ENFIM; MAIS UMA VEZ NADA SOLUCIONADO E DEIXARAM MAIS UM PROBLEMA.

EU COMO OUTROS MORADORES QUEREMOS PARTICIPAR POSITIVAMENTE DOS PROBLEMAS DO BAIRRO, MAS ME PARECE QUE NÃO EXISTE DISCERNIMENTO JUNTO AOS RESPONSÁVEIS POR ESSA OBRA NEGATIVA.

EM 25/07/2013, HOJE  –   PELO ACIMA EXPOSTO, VOLTO COM AS MESMAS PALAVRAS DO PROBLEMA DEIXADO PARA TODOS OS MORADORES DA BAIRRO E TAMBÉM  PARA BAIRROS VIZINHOS, ENFIM PEDESTRES OU NÃO QUE PRECISAM SE LOCOMOVER UTILIZANDO A RUA BERNARDO DE VASCONCELOS.

HOJE JÁ FOI PARALISADO O TRANSITO PELA MANHÃ, PORQUE UM CARRO AGARROU NO BURACO CAUSADO PELO VAZAMENTO DEIXADO PELA OBRA INACABADA.

TODOS QUE TRANSITAM POR ESSA RUA ESTÃO SUJEITOS SERIAMENTE A UM DESASTRE ANUNCIADO, POR CONSEQUÊNCIA DESSA OBRA MAL FEITA SEM UTILIDADE PARA RESOLVER O PROBLEMA DAS ENCHENTES CAUSADAS PELO RIO CATARINO, E AINDA CRIOU-SE  UM NOVO TRANSTORNO COM O VAZAMENTO DO CANO DA CEDAE QUE A CADA MINUTO ESTÁ SE TRANSFORMANDO EM UMA CRATERA PERIGOSÍSSIMA.

CLAMAMOS POR UMA SOLUÇÃO DEFINITIVA E NÃO PALIATIVA!!!!

SOLICITO A TODOS QUE RECEBEREM ESSA RECLAMAÇÃO PARTICIPATIVA, DIVULGUEM  E AJUDEM A SOLUCIONAR ESSES  PROBLEMAS  QUE SE ARRASTAM A QUASE 08 MESES .

OBS: INFORMO QUE AS ENCHENTES CAUSADAS PELO RIO CATARINO SÃO UM PROBLEMA DE DÉCADAS QUE JÁ FOI OBJETO DE NOTÍCIAS EM JORNAIS DA CIDADE, TV, SEMINÁRIOS, AÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO PUBLICO, ACIDENTES FATAIS COM MORTES. É UM TRANSTORNO!!!!

EM 27/07/2013, AGORA A RUA ACIMA ESTÁ PARALISADA E A TODA HORA CAI UM CARRO NO BURACO, ONDE NÃO SE PODE VER A SUA DIMENSÃO, POIS A OBRA VIROU UMA LAGOA E OS MOTORISTAS NÃO CONSEGUEM DIMENSIONAR O TAMANHO DO PROBLEMA.

ESTOU TEMEROSO DE ACONTECER UM ACIDENTE GRAVÍSSIMO. POIS À NOITE VAI FICAR PERIGOSÍSSIMO, JÁ QUE NÃO Há SINALIZAÇÃO.

PARA SE TER UMA NOÇÃO DO PROBLEMA, JÁ EXISTEM PEDAÇOS SOLTOS DE CARROS QUE BATEM NO BURACO E SE SOLTAM ( PARA-CHOQUES, BORRACHÕES.)

CLAMAMOS POR UMA SOLUÇÃO URGENTE!!!! ALMIR Morador do lado Sul