Moradores cansados do descaso das autoridades.

FALA REALENGUENSE

Lmegafone1eitora entra em contato botando a boca no trombone:

Bom dia meu nome é Laura de Almeida moro na Rua Pedro Gomes em Realengo.

Nossa rua está totalmente abandonada com um vazamento de água a mais de 3 meses já fizemos diversas reclamações na Cedae e   pedro Gomes3
ninguém verifica a água não é de esgoto

O buraco fica em frente ao número 21 da rua Pedropedro Gomes5 pedro Gomes 1Gomes e diversos carros já quebraram é a cada dia que passa o buraco
aumenta

Pedimos ajuda já que infelizmente o governo e a Cedae abandona o povo

 

ENCHENTE NA RUA GENERAL RAPOSO

gen raposo 3 29032015gen raposo 4 22032015As eleições se passaram. Os candidatos eleitos são os mesmos e nossos problemas também. Quando chove nossas ruas enchem. Chuvas rápidas e não temporais. Parece matéria repetida mas não é já retratamos aqui fotos da Pedro Gomes tiradas pela moradora Sonia Regina e agora nosso fotógrafo é o Thiago Machado da rua General Raposo. As obras prometidas não são feitas.

gen raposo 1  29032015gen raposo 1 22032015

ReP13- EDITORIAL-CHEGAMOS A ABRIL

11182156_989531724412808_5992229913053305426_n

 

CHEGAMOS A ABRIL

O mês de Abril chega e para Realengo SEMPRE será marcado pela tragédia da Escola Tasso da Silveira. Sempre prestaremos aqui homenagem aos nossos 12 anjos. Nunca deixaremos esquecer essa tragédia. E sempre tentaremos cobrar atitudes para que em nenhuma escola isso se repita. Mostramos nesta edição o drama das porteiras que foram contratadas após a tragédia. Acompanhamos o realenguense Vitor que atua na Casa Fluminense no debate em Senador Câmara sobre mobilidade. A primeira forania traz a palavra do Vigário Episcopal padre Felipe. Na UPP Batan o tempo de pascoa traz distribuição de ovos e bombons na sede e nas ruas do conjunto Agua Branca. Batemos novamente na tecla das chuvas nas ruas do bairro e apresentamos foto da rua gen. Raposo. Além de nossas colunas Ética e Cidadania e Deu no Blog convidamos você a leitura dos artigos dos realeguense Luiz Carlos Chaves e Carminha Morais. Boa leitura

Alagamentos na Rua General Raposo

As eleições se passaram. Os candidatos eleitos são os mesmos e nossos problemas também. Quando chove nossas ruas enchem. Chuvas rápidas e não temporais. Parece matéria repetida mas não é. Já retratamos aqui fotos da Pedro Gomes tiradas pela moradora Sonia Regina e agora nosso fotógrafo é o Thiago Machado da Rua General Raposo. As obras prometidas não são feitas.   gen raposo 1  29032015 gen raposo 1 22032015 gen raposo 3 22032015 gen raposo 3 29032015 gen raposo 4 22032015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CHEGAMOS A ABRIL

O mês de Abril chega e para Realengo SEMPRE será marcado pela tragédia da Escola Tasso da Silveira. Sempre prestaremos aqui homenagem aos nossos 12 anjos. Nunca deixaremos esquecer essa tragédia. E sempre tentaremos cobrar atitudes para que em nenhuma escola isso se repita. Mostramos nesta edição o drama das porteiras que foram contratadas após a tragédia. Acompanhamos o realenguense Vitor que atua na Casa Fluminense no debate em Senador Câmara sobre mobilidade. A primeira forania traz a palavra do Vigário Episcopal padre Felipe. Na UPP Batan o tempo de pascoa traz distribuição de ovos e bombons na sede e nas ruas do conjunto Agua Branca. Batemos novamente na tecla das chuvas nas ruas do bairro e apresentamos foto da rua gen. Raposo. Além de nossas colunas Ética e Cidadania e Deu no Blog convidamos você a leitura dos artigos dos realeguense Luiz Carlos Chaves e Carminha Morais. Boa leitura

 

 

Rio Catarino no aguardo de obras e não de paliativos

Solicito a intervenção URGENTE na obra que está sendo realizada sobre a passagem das águas do RIO CATARINO, localizado à Rua Bernardo de Vasconcelos, esquina com Rua Vieira do Nascimento, ao lado do Colégio Mun. Gil Vicente, no bairro de Realengo – Rio de Janeiro – RJ.

MOTIVO: ESSE RIO É CAUSADOR DE INÚMERAS ENCHENTES E INUNDAÇÕES, PARALISAÇÃO DO TRÂNSITO, CASAS INVADIDAS PELAS ÁGUAS FÉTIDAS E DOENTIAS, CARROS BOIANDO, NÃO SE PODE SAIR OU CHEGAR… ( IR E VIR) ENFIM É UM SERÍSSIMO PROBLEMA PARA O BAIRRO E OUTROS BAIRROS VIZINHOS, JÁ QUE NÃO SE PODE ATRAVESSÁ-LO QUANDO ESSE RIO SOBE.

OBRA: ESTÁ SE DEMANDANDO MATERIAL, FERRAMENTAS, TEMPO, DINHEIRO… PARA SE FAZER A MESMA COISA DE ANTES (QUEBROU-SE A ANTIGA E SE FAZ A MESMA COISA, COM A MESMA ALTURA, LARGURA, A BASE É DE PEDRA DE MÃO ANTIGA).

É UMA SACANAGEM, DESCULPEM O TERMO, É UM ABSURDO O QUE ESTÁ SE FAZENDO, UMA VEZ QUE ESSA OBRA NÃO IRÁ RESOLVER OS TRANSTORNOS DAS ENCHENTES, POIS A PONTE É BAIXA, ESTREITA E IRÁ RETER O FLUXO D´ÁGUA COMO ANTES, CAUSANDO  CONSEQUENTEMENTE AS ENCHENTES.

POR FAVOR, SOLICITAMOS EU, E OS MORADORES DO BAIRRO, UMA SUPERVISÃO IMEDIATA PARA ESSE ABSURDO, POIS JÁ FIZEMOS INÚMERAS RECLAMAÇÕES À PREFEITURA, MAS SÓ HÁ RESPOSTAS SEM SOLUÇÃO (DESCASO)!!

EM TEMPO: A obra não tem placa, não sabemos quem a realiza, é um absurdo quem permite, assina e projeta uma coisa dessas. É UMA OBRA QUE NÃO IRÁ SERVIR DE NADA PARA A REAL SOLUÇÃO DAS ENCHENTES E INUNDAÇÕES CAUSADAS PELO RIO CATARINO EM REALENGO.

É DE URGENCIA UMA CONSTRUÇÃO MODERNA, QUE DEIXE ATRAVESSAR O FLUXO COM SUA VAZÃO D´ÁGUA E NÃO A INTERCEPTAÇÃO DAS ÁGUAS. GRATO.

ESPERO NÃO SOFRER REPRESÁLIAS PELA MINHA PARTICIPAÇÃO COMO CIDADÃO QUE CRITICA, SUGERE E DEFENDE O BAIRRO ONDE MORA, E ACIMA DE TUDO COLABORADOR, CIDADÃO, DO MEU MUNCÍPIO. SDS. ( EM 26/06/2013)

EM 19/07/2013 – VOLTO COM O ACIMA EXPOSTO E ACRESCENTO QUE NÃO FOI TOMADA NENHUMA PROVIDÊNCIA, SOBRE A SOLICITAÇÃO ACIMA.  A OBRA ESTÁ QUASE TERMINADA, PORÉM ALÉM DE NÃO SOLUCIONAR OS PROBLEMAS DAS ENCHENTES, FOI CRIADO OUTRO PROBLEMA PARA NÓS MORADORES, UMA VEZ QUE NA METADE DA PONTE,  APARECEU  UM VAZAMENTO DE ÁGUA, ONDE PASSA UM CANO DA CEDAE QUE ABASTECE UMA PARTE DO BAIRRO.

NÃO HÁ MOVIMENTO DE TRABALHADORES, JÁ FOI RETIRADO O CONTAINER QUE SERVIA DE APOIO A OBRA, ENFIM; MAIS UMA VEZ NADA SOLUCIONADO E DEIXARAM MAIS UM PROBLEMA.

EU COMO OUTROS MORADORES QUEREMOS PARTICIPAR POSITIVAMENTE DOS PROBLEMAS DO BAIRRO, MAS ME PARECE QUE NÃO EXISTE DISCERNIMENTO JUNTO AOS RESPONSÁVEIS POR ESSA OBRA NEGATIVA.

EM 25/07/2013, HOJE  –   PELO ACIMA EXPOSTO, VOLTO COM AS MESMAS PALAVRAS DO PROBLEMA DEIXADO PARA TODOS OS MORADORES DA BAIRRO E TAMBÉM  PARA BAIRROS VIZINHOS, ENFIM PEDESTRES OU NÃO QUE PRECISAM SE LOCOMOVER UTILIZANDO A RUA BERNARDO DE VASCONCELOS.

HOJE JÁ FOI PARALISADO O TRANSITO PELA MANHÃ, PORQUE UM CARRO AGARROU NO BURACO CAUSADO PELO VAZAMENTO DEIXADO PELA OBRA INACABADA.

TODOS QUE TRANSITAM POR ESSA RUA ESTÃO SUJEITOS SERIAMENTE A UM DESASTRE ANUNCIADO, POR CONSEQUÊNCIA DESSA OBRA MAL FEITA SEM UTILIDADE PARA RESOLVER O PROBLEMA DAS ENCHENTES CAUSADAS PELO RIO CATARINO, E AINDA CRIOU-SE  UM NOVO TRANSTORNO COM O VAZAMENTO DO CANO DA CEDAE QUE A CADA MINUTO ESTÁ SE TRANSFORMANDO EM UMA CRATERA PERIGOSÍSSIMA.

CLAMAMOS POR UMA SOLUÇÃO DEFINITIVA E NÃO PALIATIVA!!!!

SOLICITO A TODOS QUE RECEBEREM ESSA RECLAMAÇÃO PARTICIPATIVA, DIVULGUEM  E AJUDEM A SOLUCIONAR ESSES  PROBLEMAS  QUE SE ARRASTAM A QUASE 08 MESES .

OBS: INFORMO QUE AS ENCHENTES CAUSADAS PELO RIO CATARINO SÃO UM PROBLEMA DE DÉCADAS QUE JÁ FOI OBJETO DE NOTÍCIAS EM JORNAIS DA CIDADE, TV, SEMINÁRIOS, AÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO PUBLICO, ACIDENTES FATAIS COM MORTES. É UM TRANSTORNO!!!!

EM 27/07/2013, AGORA A RUA ACIMA ESTÁ PARALISADA E A TODA HORA CAI UM CARRO NO BURACO, ONDE NÃO SE PODE VER A SUA DIMENSÃO, POIS A OBRA VIROU UMA LAGOA E OS MOTORISTAS NÃO CONSEGUEM DIMENSIONAR O TAMANHO DO PROBLEMA.

ESTOU TEMEROSO DE ACONTECER UM ACIDENTE GRAVÍSSIMO. POIS À NOITE VAI FICAR PERIGOSÍSSIMO, JÁ QUE NÃO Há SINALIZAÇÃO.

PARA SE TER UMA NOÇÃO DO PROBLEMA, JÁ EXISTEM PEDAÇOS SOLTOS DE CARROS QUE BATEM NO BURACO E SE SOLTAM ( PARA-CHOQUES, BORRACHÕES.)

CLAMAMOS POR UMA SOLUÇÃO URGENTE!!!! ALMIR Morador do lado Sul

Edição nº 6: Rio Catarino – Descaso que gera tragédias.

RIO CATARINO: DESCASO QUE GERA TRAGÉDIAS

O Rio Catarino, localizado no bairro de Realengo, tem gerado muitos problemas para a população do bairro, que varia de enchentes até acidentes que causaram mortes. Em meio à situação, muitos são os envolvidos para tentar solucionar o caso, porém com muitas tentativas em vão. O descaso dos órgãos públicos gera cada vez mais transtorno para os moradores, que não tem nenhuma previsão de resposta e se encontra “às escuras”.

Mesmo depois de aproximadamente 6 anos de luta, os moradores do bairro de Realengo ainda enfrentam muitos problemas causados pelo Rio Catarino, que nasce na Serra do Barata (Maciço da Pedra Branca) e deságua no Rio Marinho junto a Av. Brasil, passando por ruas como Olímpia Esteves (atravessa), Luiza Barata,  cruza a Limites, passa na Castelo Branco mas ali é canalizado, e profundo, somente o odor incomoda, Av. de Santa Cruz e Bernardo de Vasconcelos, atravessa a linha férrea e causa estragos na comunidade Malloca. A cada ano que passa, a situação se agrava ainda mais, principalmente em épocas de chuvas constantes, onde o rio transborda causando muitas enchentes e até mortes por onde passa.
Foi pensando nisso que alguns moradores do bairro se uniram em prol da causa, criando o SOS Catarino, um movimento popular que existe desde 2007, e serve para alertar e comunicar as autoridades sobre a situação problemática do Rio Catarino, que atualmente também conta com o apoio a AMPARA (Associação Movimento de Preservação Ambiental de Realengo). Depois da criação desse projeto, alguns contatos foram realizados com autoridades, que em meio a certa burocracia, demonstram certo descaso com a situação.

Para saber mais como anda o processo de recuperação do Rio Catarino, buscamos falar com algumas pessoas que se encontram engajadas ao projeto, e moradores que sentem na pele os problemas causados pelo rio.

Uma dessas pessoas foi o presidente da AMPARA, Marcos de Moraes, que relata alguns acontecimentos e a posição dos órgãos públicos sobre o caso. Porém, o problema parece nunca ter a desejada solução. “Desde 2007 pra cá, nada evoluiu. O que nós conseguimos, foi uma intervenção do Ministério Público, com assuntos relacionados a ação civil publica, mas somente solucionando o problema em apenas uma parte, que não é o que queremos, e sim, uma solução para todos”, disse Marcos. E com a solução do problema sendo sempre adiada, este vai tomando proporções ainda maiores. “A cada ano que passa, a enchente do rio parece ir mais adiante. Hoje em dia ela pode ir até a Praça Padre Miguel no centro de Realengo,  comentou.

A solução apresentada pela Prefeitura para a recuperação do Rio Catarino seria a canalização do mesmo, o que não seria o ideal, pois “mataria o rio”, disse Marcos. E acrescenta: “A solução que temos hoje não é a correta, que é jogar o esgoto em outro local, pois assim só estamos mudando o problema de lugar. O que deve ser feito é um tratamento do esgoto, antes dele ser despejado no rio, como se diz que é feito em Jacarepaguá, por exemplo. Essa solução seria a ecologicamente correta.” Com tantos pedidos de ajuda e nada ainda feito em prol da causa, ficamos nos questionando: Será que existe, de fato, uma predisposição do poder público para solucionar o caso? “Aparentemente não existe.

Em 2008, foi realizado pela AMPARA um seminário junto à população, para discussão do caso. Em meio a tantas mudanças de projetos, em que algumas alterações e informações ainda nem foram divulgadas, o presidente da Associação de Preservação Ambiental comunica que irá realizar em breve um novo seminário, a fim de deixar a população a par da situação do Rio Catarino. “Iremos realizar um novo seminário, e quem sabe convocar alguma autoridade responsável pelo caso. […] Devemos alertar que o problema não é resolvido rapidamente. Algumas pessoas têm essa consciência, outras já querem uma solução imediata. Dependemos de verbas, de vontade política. É tanta coisa que não pode ser resolvido rapidamente”, declarou ele.

Alguns problemas que o Rio Catarino apresenta não são somente originários dele. Muitos outros rios não só do bairro de Realengo, mas também são causados por rios que se encontram ao redor dele. E além de Realengo, problemas como esse estão espalhados por todo o estado do Rio de Janeiro. Existem também as construções irregulares, feitas nas margens dos cursos d’água, e o lixo jogado dentro deles, que agrava, ainda mais o caso. Muitos falam em uma possível drenagem do Catarino, para solucionar a situação. Porém, a drenagem causaria impacto ambiental no mesmo. “Embora o rio não possua vida, ainda sim existe um impacto ambiental no solo dele, por exemplo. A drenagem é uma solução aleatória. Não resolve, mas ameniza o problema”, diz Marcos. “O ideal também seria uma manutenção periódica do rio, retirando o lixo dele, assim diminuindo o impacto que ele tem no caso de uma enchente” acrescentou, devido a uma observação feita pela Comlurb, órgão que seria responsável pela manutenção do rio, que declarou que não seria possível a manutenção do rio, devido às construções em sua margem, e o espaço que não comportaria as máquinas necessárias para tal limpeza.

O Rio Catarino não possui uma grande extensão, porém passa por muitas ruas de Realengo, e em certos pontos, devido a sua extensão não ser sempre estável, contendo algumas alterações como curvas, e profundidade maior em certos pontos, acaba causando um impacto maior em certos pontos. De acordo com informações dadas por Marcos, os locais que são sempre mais atingidos severamente são: Condomínio da Rua Limites, devido a grande concentração de moradores que sempre ficam ilhados quando ocorrem enchentes, e onde também já aconteceu acidentes; Rua Nepomuceno, pois é uma área mais baixa e mais propícia a enchentes, e onde o Rio Catarino apresenta mais curvas e bancos de areia; Rua Bernardo de Vasconcelos e Av. de Santa Cruz, pois são ruas de mais movimento de trânsito, e Maloca, por ser uma área onde existe muitas casas localizadas perto do rio.

Enquanto procuramos a melhor alternativa para ajudar o Rio Catarino, sua situação se complica cada vez mais. São muitos os órgãos públicos envolvidos ou entidades fundadas pela própria população. Mas o que temos ter em mente, é que a solução começa sempre com os próprios moradores, que devem cada vez mais se conscientizar da situação, e não jogar lixo no rio, por exemplo. Além disso, devemos sim, cobrar soluções dos órgãos responsáveis pelo assunto, pois são formados por pessoas eleitas pela própria população, e é dever deles tomar medidas para garantir o bem estar da mesma. A solução do problema vem sempre das duas partes.

Por Laís Brites

MALOCA

O rio que nasce na serra do barata e corta o bairro de Realengo passa pela favela Vila Vintém. Nossa reportagem percorreu as vielas da maloca com o Líder comunitário Sergio Amorim e vimos em Loco os transtornos que o rio e suas cheias causam na população carente. Nosso passeio pela maloca com Sergio Amorim começou pela Travessa Imperador, rua rente a linha do Trem, por onde o rio passa abaixo doa trilhos.

Logo no Início um morador nos leva a uma casa onde um jovem chamado Marcio Leandro contraiu dengue. A doença foi diagnostica pelo PAM Bangu. Agora é monitorado pelo posto de saúde com a administração de soro fisiológico. Segunda a tia de Marcio Leandro, dona Celia existe outro caso, na esquina da mesma rua.

Sergio Amorim nos leva a localidade da Maloca. Lá o líder comunitário conseguiu obras em 2003/2004 para calçamento. Junto a uma pequena ponte que atravessa o rio Catarino constatou que o leito do rio é bem espremido pela e que o curso de agua  está muito próximo da margem (cerca de 50 cms.) Qualquer chuva já transborda o rio e as enchentes trazem danos aos moradores. Com a casa grudada no rio Dona Regina aponta aonde a agua chega e diz que perdeu todos os moveis.

Ainda na maloca encontramos o agente de saúde Fernando. Ele nos relata que os problemas de saúde são constantes. A localidade tem muitas crianças que brincam quando ocorre cheias e depois aparecem as doenças de pele, diarreias e a dengue.

Já chegando à rua mesquita, a comerciante Cyntia, aponta o local que a agua do rio alcança quando enche e que muitos moradores perdem moveis e eletrodomésticos. Em todo o curso do rio, nossa reportagem identificou a sujeira, lixo e falta de conservação em todo trajeto do rio.

Em nossa conversa com Sergio Amorim, ele diz estar tentando com a Rio Aguas a canalização do Rio Catarino e que o projeto não tiraria os moradores doa margem do rio.

Por Marcelo Queiroz

 

O POVO E A MÍDIA

O POVO E A MÍDIA

O ano de 2011 começou com novidades no oriente médio. Mas precisamente no Egito onde uma combinação na dose certa. Um povo oprimido a décadas e uma mídia renovada utilizando a plataforma das redes sociais pois fim a ditadura de 30 anos de Mubarak. Não vamos esquecer que foi preciso ao POVO sair de sua inércia e ir para ruas, mas para isso existiu um movimento da MÍDIA bem articulado para convencer a esse POVO a tomar as praças e até a perder vida para mudar um regime que há 30 anos lhe oprimia.

Também aqui no Brasil, no Rio de Janeiro, na Cidade Maravilhosa e precisamente em Realengo temos novidades. Um jornal que irá ajudar as famílias residentes no bairro a perceber que muita coisa pode ser diferente. Mas não mudará apenas porque temos um jornal, pois também lá no Egito o regime não cairia só pela Mídia pelas redes sociais. O povo teve que ir às praças. Aqui também podemos ir às praças e veremos que muitas estão mal cuidadas. Veremos placas de obras que não perguntaram a nós moradores se eram tão necessárias. Veremos ainda faixas de vários políticos agradecendo a eles mesmo por obras que o dinheiro de impostos que pagamos e que a prefeitura faz em retribuição a quanto que pagamos e olha que o impostômetro anda subindo cada vez mais. Ano que vem teremos eleição para prefeito e vereador e você sabe em quem votou pela ultima vez para vereador, prefeito? Sabe quem foi o vereador que criou a taxa de iluminação que onerou a nossa conta de luz. Votaria nele para lhe representar na próxima eleição?

O Realengo em Pauta será parceiro do povo que quiser mudar o lugar que moramos. Mas para isso os moradores do bairro devem sair da inércia e começar a lutar para melhorias no saneamento do bairro, nos transportes, nas ruas, nos acesso para pessoas com necessidades especiais. Nós vamos mostrar as diferenças entre a cidade da zona sul e da zona oeste. Suburbanos com orgulho sim, mas com muitas carências que cabe ao poder público melhorar e nunca… Nunca… Nunca ser feudo de ninguém. Queremos Ética e Cidadania para Realengo.  Queremos participar dos projetos que são destinados ao nosso bairro. Queremos sim melhorias para Realengo de Norte a Sul. Para Jardim Batan, Jardim Novo, Parque Centenário, Capitão Teixeira, Barata, Av. Santa Cruz, Estrada da Água Branca e Fumacê.

Marcelo Queiroz – Morador do Parque Real – Lado Sul